Desocupados que passaram por aqui

quinta-feira, novembro 10, 2011

Meu espírito competitivo foi exorcizado


Que desculpa vou dar agora pela falta de posts?

Estudos?
Trabalho?
Maratona de 4 temporadas de Doctor Who?

Escolha a que você gostar mais.

O fato é que estou de volta (por enquanto.. Já que daqui a pouco tenho mais provas finais... e ainda me falta assistir duas temporadas de DW) e resolvi falar de um assunto que define a minha vida: a competitividade.

O espírito competitivo é o que nos move, o que nos faz sempre buscar melhorar. Com um pouco de ambição e uma dose de concorrência as pessoas passam a buscar sempre se superarem...

Infelizmente parece que o meu foi visitado pelo padre Damien e foi mandado pros confins das trevas...

E não... Nunca consegui assistir "O Exorcista".



Já devo ter dito aqui que eu era gordinho, né?

Agora eu sou gordo.. Antes eu era gordinho. Que é o mesmo que dizer que escadas eram minhas inimigas juradas e aulas de educação física eram gastas arranjando desculpa para não ser obrigado a participar de alguma competição onde eu estragaria logo nos primeiros 15 minutos as chances do time vencer.

Mas é claro que nem sempre as desculpas funcionavam. É meio difícil fingir ter gripe durante todo um ano letivo, e então de vez em quando me botavam pra jogar futebol.

E onde colocavam o gordinho? No gol, CLARO!
O pior é que diziam que eu até que pegava bem no gol... O que é duvidoso... Já que não é que eu era um bom goleiro, e sim que eu ocupava metade do gol e ficava complicado acertar a rede quando tem uma coisa grande e redonda ficando no caminho da coisa redonda menor. Enfim...


É claro que eu nunca tive muita aptidão para esportes e afins, mas de vez em quando meu santo ficava feliz e eu conseguia ter um desempenho satisfatório, e as vezes até bom.

Mas assim como Ícaro, não dá pra voar muito próximo ao sol...

Era só a pressão aumentar pro meu lado que o gordinho desajeitado assumia o controle e eu sempre acabava fazendo besteira e estragando tudo.

Desse jeito, mesmo que eu praticasse algum esporte para diversão, sempre que ele virava competição eu estragava tudo. Nenhuma dos esportes que eu já pratiquei eu tive coragem de competir... Futebol, judô, basquete, vôlei...

Nunca competi, e por isso nunca ganhei nada..

Desse modo nunca senti o gosto da vitória, e assim nunca me viciei nele e fiquei obcecado por ele, buscando-o...

Essa é uma boa explicação, não é?

Mas eu acho que ainda tem mais...


Desde Caim e Abel (ignorem o fato de que sou totalmente leigo quanto a assuntos bíblicos) nossos maiores adversários são nossos irmãos. Disputamos a atenção dos pais, os brinquedos melhores, a cama de cima do beliche. Competimos para ver quem é o mais rápido, mais forte, corajoso... As vezes essa competição vai um pouco longe (né, senhores Liquido e Sólido Cobra?) mas quase sempre ela é bem saudável e serve mais como um estímulo ao aprimoramento das habilidades dos pequenos brigões.

Acontece que eu e meu irmão nos dávamos muito bem. Bem demais. Tão bem que praticamente nunca teve esse sentimento de contenda. Sempre dividíamos as coisas, e quase nunca nos provocávamos.As poucas vezes em que ocorria uma rixa o assunto era posto de lado rapidamente por uma cintada bem dada da dona nossa mãe. Mas isso aconteceu poucas vezes... Amor fraterno, ou medo de apanhar, você escolhe...


E outra coisa (que eu já devo ter comentado) é que eu e meu irmão, apesar de sermos quase cópia carbono, possuímos gostos e habilidades muito diferentes.

Então nunca fez muito sentido haver disputa entre a gente. Era como botar um peixe em um macaco pra competir natação ou subir em árvores.

Desse jeito, quando havia alguma coisa em que nós dois eramos bons, ao invés de pensarmos em ver qual era ainda melhor, nós nos juntávamos para fazer essa coisa junto, felizes por poder compartilhar algo.


Falta de vontade de competir na escola e falta de competitividade em casa me moldou de forma que agora, enquanto as pessoas correm para se provarem melhores umas que as outras eu sempre fico na minha... Não tenho paciência pra essas coisas.

Não que eu não goste de desafios. E não que eu goste também.. Eu os cumpro, mas nunca com a mentalidade de competidor. A única competição que eu faço e de eu contra eu mesmo.

E eu nunca perco..

Mas sempre chego em segundo...




Me dei um nó no cérebro...


Ah.. E pensei nesse texto inteiro só por que me toquei que nunca gostei de jogos multiplayer competitivos, só os cooperativos...


Maneiro, né?


Teeenham um bom dia!

Um comentário: