Desocupados que passaram por aqui

quarta-feira, maio 18, 2011

Peixe fora d’água



Meu plano era dedicar o texto dessa semana pra falar do HQ de “The Walking Dead”, só pra pegar o embalo do texto passado sobre zumbis.

Mas como o blog não é mais como antigamente, não vou ficar fazendo ligação entre textos. Quem se lembra dessa época?

E também por que aconteceu algo essa semana que me inspirou a terminar esse texto. Eu já tinha começado a pensar nele a uns tempos atrás, mas faltou inspiração. Mas agora a consegui.

O que aconteceu foi que essa semana (quinta feira) vai ter/teve (depende de quando eu postar o texto) um balada na faculdade. E não só uma “baladinha”, mas sim uma baita duma festa onde todo mundo vai.

Só pra ilustrar, será a “Festa do contrário”, onde homem se veste de mulher e mulher se veste de homem.

Meus amigos e amigas vão para essa festa. Já eu...bem...

domingo, maio 15, 2011

Infestação zumbi


Como vocês devem se lembrar, eu não sou um grande fissurado por terror.

Ou, melhor dizendo, eu não consigo nem assistir um filme de terror inteiro sem ter que desviar o olhar alguma vez.

Ta... Sou um cagão... Isso não é novidade.

Mas no meio de tantos monstros, aberrações, aparições e assombrações eu consegui encontrar um subgênero que eu agüento acompanhar, e que até consegue me cativar.

E pelo o que eu consigo perceber, esse subgênero está sofrendo um verdadeiro BOOM nesses últimos tempos, se tornando cada vez mais popular.

E a não ser que você tenha algum bloqueio mental que te impeça de ler o título do texto, você já sabe que o assunto de hoje será zumbis, mortos-vivos, ghouls, walkers, e todas essas coisas boas da vida!

terça-feira, maio 03, 2011

Kira e eu: Parte 3


É engraçado...

Bem. Talvez engraçado não seja a palavra certa. É até trágico.

É curioso, pelo menos, o fato de que nos apegamos tanto aos nossos bichinhos de estimação. Simplesmente por que, a não ser que você tenha uma tartaruga marinha, o seu animalzinho vai morrer bem antes que você.

Por exemplo os cachorros. As raças que vivem por mais tempo acho que não passam dos 15 anos, e isso que eles chegam nessa idade capengando, cegos e cheios de problemas.
Mas mesmo assim a gente se apega e nunca aceita nem que eles fiquem doentes.

E, bem, a Kira já nos deu um bocado de dores de cabeça devido a preocupação.