Desocupados que passaram por aqui

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

A epopéia do supermercado


Todo mundo passa por isso um dia. Ou, o mais provável, VÁRIOS dias.

No meu caso acontece uma vez a cada dois meses.

O que? Oras... A boa e velha ida ao supermercado.

Mas, me entenda: não estou falando do tipo “AH, vamos lá rapidinho que eu preciso comprar detergente...” NÃO! Estou falando do tipo “vamos comprar mantimentos o suficiente para sustentar um bunker para 5 pessoas por 10 anos”, aquelas compras periódicas que demoram umas 2, 3 horas pra terminar.

Essa, meus amigos, é uma graande missão.

Tem algo no meu jeito de ser que faz com que eu seja o alvo perfeito de pedidos de ajuda. Sempre que tem uma coisinha pra pegar, algo pra arrumar, geralmente me chamam.
DEUSES! Uma vez minha mãe até já me pediu pra pegar o controle remoto pra ela, sendo que ele estava a dois metros dela, e eu estava do outro lado da casa...

Mas estou divagando.

Acontece que sempre que minha mãezinha vai ao supermercado, eu sou o acompanhante dela.
E como vocês parecem gostar mais dos textos em que eu não sou tão nerd, está na hora de fazer uma listinha de reclamações das super-compras.



Promoções

 
Acho que deve ser por que eu sou homem, e homem tem certa aversão por compras...

Mas se tem uma coisa que me deixa realmente confuso são promoções e o efeito que elas têm nas mulheres.

Vamos pintar um cenário assim, totalmente hipotético, que nuuunca aconteceu comigo:

Precisamos comprar um certo produto X. E quando digo UM, é UM mesmo, tipo uma caixa só. Só precisamos de um desse item, e qualquer coisa a mais é desperdício.

Eis que na hora de comprar, sua acompanhante na compra (oi, mãe!) vê que, caso compre 3 caixas do X, o preço unitário diminuiria uns 10%.
“Nossa... Tá em promoção.. Rápido! Pega mais duas caixas aí!”
“Mas... A gente só precisa de um...”
“Mas ta em promoção!”
“Sim... Mas mesmo assim se a gente levar 3, a gente vai estar pagando mais do que se levar só um...”
“É... Mas ta em promo...”
“A. GENTE. SÓ. PRECISA. DE. UM!”

Claro que esse cenário é hipotético, e eu nunca falei algo assim... Mas esse é um diálogo que ocorre muito na minha fértil cabeça.

Parece que o fato de algo estar em promoção gera um impulso incontrolável de aproveitá-la, mesmo que isso no final signifique gastar mais...

Mundo doido, né?


Tem que ver tudo

 
Outra coisa relacionada a aversão masculina às compras é a necessidade de se passar em todos os cantos do supermercado e checar tudo.

Lembra a necessidade de se comprar o X? O problema é que, até ir e comprar o X, você foi obrigado a dar toda a volta no supermercado, vendo toda sorte de produtos e sofrendo cada vez mais os efeitos das promoções hipnotizantes...

Mas sabe o que complica ainda mais as coisas?

Que, apesar de tudo, sempre levam uma lista de compras pro supermercado.
E mesmo com uma lista de tudo que precisam, acabam sempre comprando o dobro de coisas.
É ir comprar um detergente e voltar com uma cozinha nova...


Empurrar carrinho



Desde pequeno eu era o encarregado por cuidar do carrinho.

E eu adorava isso quando eu era menor! Rolava até uma disputa entre meu irmão e eu, para ver quem ia ser o “piloto da vez”.

Ó! A alegria de sair pelos corredores impulsionando aquele meio de transporte tão belo e chacoalhante!

Mas, é claro, agora com 21 anos nas costas certas coisas perderam a graça...

Colecionar brinquedos, quadrinhos e video games não é uma delas, by the way...
Dirigir carrinhos de supermercado, por outro lado, não possui o mesmo apelo de antes.

Coisas que eu nem ligava quando eu era menor agora começam a me irritar demais. Tipo as rodinhas dos carrinhos. Já perceberam que sempre tem aquela rodinha que fica rodando em falso? Ou uma que não encosta no chão, e seu carrinho fica manco... Ou o carrinho anda todo torto, fazendo barulho... Chacoalhando...

Mas vou admitir, depois da quinta volta pelos corredores, o carrinho começa a me entreter e eu fico empurrando ele de um lado pro outro pra passar o tempo... Até que eu acerte alguém e leve uma bronca da minha mãe...

Sou uma criança inquieta.


Crianças

 
E por falar em criança, sempre vai ter algumas criancinhas bem chatas correndo, chorando, gritando e fazendo birra.

Criança sempre arranja algo pra reclamar quando sai com a família...

Bem parecido comigo, não é?
He...he..

“Mãe.. Quero isso!
Pai, num quero isso!
Deixa eu empurrar!
Quero ir pra casa...
BUAAA!!!”

Vocês devem achar que eu não tenho paciência com crianças, né?

É... Não tenho mesmo.

Pra mim, crianças são legais até os 4, 5 anos. Depois elas viram chatas, choronas e reclamonas...
Por mim quando elas completassem 5 anos elas sumiriam e só apareceriam quando fizessem no mínimo 15 anos.

Mas vou admitir que tem umas crianças fofinhas também.

Mas o risco de elas virarem pequenos ditadores é muito grande...


Reclamei bastante, não é mesmo?
Mas não sou tão reclamão assim na vida real, vai...


Tá... Talvez eu seja..

Mas vocês nunca saberão!
HÁ!



A não ser que vocês me conheçam...


...
D’OH!



Tenham um bom dia! Aproveitem que está em promoção...

3 comentários:

  1. Eu amo supermercados, nada é melhor do que ficar de uma hora e meia à dezoito horas parado sem fazer nada!

    ResponderExcluir
  2. Sacanagem... Falar da mãe = pecado médio
    Zoar a mãe = pecado grande
    Falar + Zoar a mãe no Blog = NÃO TEM PERDÃO ...(Vai queimar no mármore do inferno...)
    Comentário postado pela Mamis... seu desnaturado...
    PS: Te amo muitão

    ResponderExcluir