Desocupados que passaram por aqui

quarta-feira, fevereiro 23, 2011

A epopéia do supermercado


Todo mundo passa por isso um dia. Ou, o mais provável, VÁRIOS dias.

No meu caso acontece uma vez a cada dois meses.

O que? Oras... A boa e velha ida ao supermercado.

Mas, me entenda: não estou falando do tipo “AH, vamos lá rapidinho que eu preciso comprar detergente...” NÃO! Estou falando do tipo “vamos comprar mantimentos o suficiente para sustentar um bunker para 5 pessoas por 10 anos”, aquelas compras periódicas que demoram umas 2, 3 horas pra terminar.

Essa, meus amigos, é uma graande missão.

Tem algo no meu jeito de ser que faz com que eu seja o alvo perfeito de pedidos de ajuda. Sempre que tem uma coisinha pra pegar, algo pra arrumar, geralmente me chamam.
DEUSES! Uma vez minha mãe até já me pediu pra pegar o controle remoto pra ela, sendo que ele estava a dois metros dela, e eu estava do outro lado da casa...

Mas estou divagando.

Acontece que sempre que minha mãezinha vai ao supermercado, eu sou o acompanhante dela.
E como vocês parecem gostar mais dos textos em que eu não sou tão nerd, está na hora de fazer uma listinha de reclamações das super-compras.

terça-feira, fevereiro 15, 2011

Gameboy, DS, PSP, 3DS, NGP...


Quando os portáteis apareceram, eles eram uma alternativa mais simples e barata aos consoles de mesa, tão caros e intimidantes.

Os primeiros portáteis eram coisas mais modestas com tecnologias passadas. Quando tentavam inovar o resultado não era bom (Virtual Boy manda um abraço) e a intenção era só dar um novo modo de jogatina mais casual.

Mas convenhamos que o principal motivo dessa falta de ambição é por que não havia concorrência. Durante anos a Nintendo governou esse setor com mão de ferro, graças ao sucesso de seu Game Boy. Muitos tentaram, e todos falharam miseravelmente na batalha contra as diversas versões do portátil da Big N.

Até que a principal concorrente da Nintendo no ramo “consoles de mesa”, a Sony, resolveu entrar nessa peleja com o seu PSP.

domingo, fevereiro 13, 2011

Lanterna Verde: Sem medo. “...e na noite mais densa..”

Sabia que eu tenho tendências nerds?

Nooossa... Que surpresa.

Em muitos fatores eu posso ser considerado um nerd, mas sempre teve um assunto em que eu pecava muito: os quadrinhos.

Sempre me interessei bastante por HQs e afins, mas nunca colecionei nada, e o máximo que tinha eram umas 5 edições mensais do Homem Aranha compradas ao longo de 7 anos. Não é o que eu chamaria de uma “biblioteca invejável”.

Mas isso começou a mudar a partir de ano passado. Comecei a desenvolver um desejo compulsivo de comprar quantos quadrinhos eu conseguisse e dei inicio a minha coleção.

Entretanto minha biblioteca continua escassa, tanto pelo fato de eu só comprar encadernados, quanto pelo fato de eu só colecionar HQs da Marvel.

quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Cheaters de “shit”!


Uma coisa que curti muito desde que comprei o PS3 foi entrar no mundo da jogatina online. E já comecei com um dos títulos que tem uns dos melhores modos multiplayers da atualidade, o Modern Warfare 2.

Ta, mentira. Meu irmão que entrou nesse mundo. Eu só jogo Uncharted 2 online mesmo.

O fato de ver meu irmão viciado em um jogo é algo totalmente estranho pra mim. Ele nunca foi muito chegado em video games (ele é o oposto de mim, eu sou nerd branquelo antisocial, e ele é moreno popular e já foi atleta...), e então eu passei a respeitar o poder do MW2 de atrair multidões pra frente da TV madrugada adentro.


Ele passou a demonstrar até uma dedicação ao jogo, comemorando cada level que ele subia, cada arma que ele abria, e cada missão que ele passava. Fico até emocionado só de pensar nisso...

Todo esse empenho, tudo por nada, já que um dia desses, graças a uma CORJA, o ânimo de jogar acabou sendo tirado do meu irmão...

 Se você está bem informado, deve saber que a segurança do PS3 foi quebrada, possibilitando que a pirataria corra solta pelo console. Já me pronunciei quanto a isso, então vou direto ao ponto. Uma coisa que a pirataria possibilitou foi a criação de cheats, códigos, trapaças para os jogos. E qualquer um que já tenha jogado algum fps multiplayer (Counter Strike anybody?) sabe que esse tipo de jogo é um dos alvos preferidos dos cheaters.

segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Não fui feito para o terror...




Alguns de vocês já devem saber, mas acontece que sou um baita “cagão”. Sou muito medroso com qualquer coisa que tenha o mínimo de terror, e as únicas coisas que consigo assistir são os mais voltados para o “suspense”.

Geralmente só consigo ver filmes de serial killers (como o bom e velho Hannibal Lecter) e nada com muito “gore” (nada de Jogos Mortais e afins).

Sou bem medroso...

sábado, fevereiro 05, 2011

Kira e eu: parte 2


Um dia desses, eu fui rever “Marley e eu”, mas claro que desisti antes da metade do filme... Não estava com muita vontade assim de chorar...

Onde eu parei no último texto?

terça-feira, fevereiro 01, 2011

Jogos que educam


Já se foi o tempo em que jogos eram vistos como coisas “infantis” ou meras formas de passa-tempo. Hoje em dia a indústria dos games possui orçamentos de fazer inveja a qualquer produtor hollywoodiano, com jogos dos mais variados tipos pras mais variadas faixas etárias.